ABN

Não ao cristianismo de circunstância.

Photo by Julien Maculan on Unsplash

O 11 de setembro fica na história como a data em que o inacreditável aconteceu. Homens, em nome de uma religião, cheios de ódio, desviaram aviões e levaram-os a embater contra as torres gémeas. Nós que vimos e vivemos esse dia jamais esqueceremos esse acontecimento.
Nos dias seguintes vimos como a maioria do mundo se solidarizou com as vítimas e entregou-se à oração. Com o passar dos tempos o sentimento de unidade em torno da condenação do ocorrido foi-se perdendo ao ponto de passados 21 anos verificamos que somente aqueles que foram vítimas diretas é que ainda sofrem com essa data. Os nossos filhos só sabem do que aconteceu pelo que ouvem e vêm nos documentários. É-lhes difícil entender verdadeiramente o significado do 11 de Setembro porque não experimentaram na pele o drama dos acontecimentos. Daqui a 50 anos, quando todos os que vimos e vivemos esse dia não estivermos aqui, só restarão memórias escritas e vídeos desse dia. Nessa altura as pessoas não darão a mesma importância pois não viveram esses acontecimentos.
Com o cristianismo também ocorre o mesmo. Se não vivermos e sentirmos o Cristo crucificado na nossa vida, o evangelho não passará de um conjunto de memórias e de testemunhos de pessoas que falam de Jesus como operou nas suas vidas. Nós até pudemos acreditar nos relatos extraordinários que nos contam, no entanto, eles não nos dizem nada, pois não vivemos a experiência transformadora de um Deus que se entregou por nós. O drama de muitos que crescem ao ouvir o evangelho é que nunca sentiram a verdadeira mudança que Cristo opera naqueles que o aceitarem como salvador. Por isso, é necessário compreender verdadeiramente o que Ele faz por nós e, como isso é radical. É difícil compreender o significado da cruz se se cultivar um cristianismo de circunstância ou simplesmente uma religião baseada na tradição.
Nós só entendemos verdadeiramente o evangelho quando aceitamos que estamos perdidos, mas que Deus enviou o seu Filho para morrer pelo nosso lugar. Esse sacrifício feito por Cristo é de difícil compreensão para aqueles que estão agarrados à religião ou a aspectos carnais. Jesus nos amou de tal maneira que tomou sobre si o nosso pecado a fim de nos dar vida e vida eterna e o mais incrível é que Ele ainda intercede por ti, para que venhas a ser salvo.


Pr. Alexandre Glória